Mão na massa

Li em uma lista a convocatória bem intencionada de um companheiro do movimento Software Livre sobre doação de monitores LCD para substituir monitores antigos no laboratório de informática de uma ONG.

A intenção era ótima, inclusive o autor da mensagem se dispunha a doar ele mesmo um monitor. Mas no fim da redação me deparei com esta frase:

“pergunto a todos, alguem teria monitores e alguem teria disponibilidade de organizar a coleta e levar para o projeto lá.”

A partir dai decidi elaborar uma resposta que se torna este post. Revolução não se faz por trás do teclado:

Olá amigo,

Quero parabenizá-lo pela preocupação com projetos sociais desse tipo. É louvável e necessário.
É claro que estar disposto a doar o seu monitor é algo ainda mais especial, ou seja, tens interesse em ajudar e desapego material também, e isso é ótimo.
Mas aceite uma crítica construtiva: o que realmente faz a diferença é meter a mão na massa.
Eu tenho certeza que seu objetivo é ver as 10 máquinas do projeto com monitores de LCD, mas para isso será necessário muito mais do que lançar a ideia e doar o seu monitor. Você só conseguirá estimular as pessoas a participarem, se você resolver os principais problemas:

Doações, coleta, contato, entrega e assistência técnica.

Perceba:

Doações – Tem que convencer as pessoas a doarem. Nesse ponto você já deu dois passos importantes: fez a primeira doação e indicou o link do projeto para sensibilizar as pessoas;

Coleta – As pessoas não querem apenas doar. Elas querem fazer isso no conforto de seus lares no horário que melhor lhes convier. E é por isso que se doa pouco neste país. Se você não organizar uma agenda de coleta, ninguém o fará. Por algum motivo parece que estar disposto a doar um equipamento velho que não se usa mais, é algo nobre e que por isso “os outros” devem fazer o resto;

Contato – Tem que entrar em contato com os diretores do projeto e ver se eles querem/podem receber essa doação. Num primeiro momento a resposta parece obviamente positiva, mas as vezes há questões legais e políticas que podem impedir a ação.
Em caso positivo, será importante agendar com eles. Pode parecer que eles tem alguma obrigação de estar a sua disposição para receber uma doação no dia e horário que você pode, mas as coisas não funcionam bem assim.

Entrega – Documento é tudo. Mesmo para uma ONG ou similar, os documentos são necessários. Quem está doando? O que está sendo doado? Com qual finalidade? Qual é a garantia envolvida? Qual a reciprocidade do projeto?
Elaborar um documento de entrega descrevendo esses, e outros, itens será algo fundamental, tanto para quem faz a doação quanto para quem doa.

Assistência Técnica – Todo mundo sabe ligar um monitor ao computador, certo? Errado! Ai entram as tomadas novas e/ou velhas, cabos, conectores, voltagem, ajustes de brilho, etc.

Ufa!

E é provável que eu ainda esteja esquecendo alguma coisa importante.

Minha ideia aqui não era fazer um manual, mas mostrar para você e todos os demais da lista, que o que realmente faz a diferença é se comprometer com o todo e não somente com a “sua” parte.
É ai que entra o trabalho colaborativo. Se um grupo de pessoas tem o mesmo objetivo e cada uma assume uma pequena parte do trabalho, então fica leve, fácil, rápido e muito mais gratificante.

Se não, alguém tem que dar uma de “Cristo” e carregar a cruz sozinho e ai já se sabe o resultado: nada de monitores LCD para o projeto.

Espero ter contribuído!

Saudações Livres!

@anahuacpg

——————————————————————————-

Originalmente postado em 10 de abril de 2012