LSM I

Ola Pessoas, Quilombolas, Amigos e demais paranoicos. Como comentei antes fiquei de mandar noticias sobre a minha viagem a França para participar do Libre Software Meeting 2003.

Aqui vao alguns relatos do primeiro e segundo dia. Alguns engraçados e outros muito serios e pouco convencionais.

Cheguei em Paris no dia 7 de julho, super tranquilo de que havia alguem me esperando no Aeroporto Charles de Gaulle. Deço do aviao, completamente morto de cansado, depois de mais de 11 horas de aviao e quando finalmente passo pela imigração, descubro que nao ha ninguem me esperando. Ainda em um impulso de inseguraça fiquei no aeroporto por mais ou menos duas horas, esperando por alguem que me recebesse.

Uma vez convencido de que ninguem chegaria decidi comprar um mapa e ver como me virar, afinal eu queria chegar na Torre Eifell. Maldita hora em que eu decidi ir até la. Um pouco mais de paciencia e vai ficar tudo claro.

Como o meu objetivo é seguir da França para Espanha eu trouxe bastante roupa, pois fico na França por è dias e nao ha onde lavar roupa. Assim minha bolsa esta bastante pesada. Alem disso trouxe um bom livro e uma jaqueta de couro para me proteger do frio. A ideia era bem simples: deixar minha bagagem em um armario no aeroporto, pedir informaçoes e pegar um metro até a torre Eifell, depois pegar minha bagagem e finalmente outro metro e ir ate a estaçao de trem que me levaria até Metz, onde esta sendo o evento.

Bem, em primeiro lugar todos os armarios que existiam para deixar bagagem foram desativados e retirados dos aeroportos por conta do medo de atentados terroristas, ou seja de bombas, assim tiver que carregar minha bolsa para todo lado.

Depois o ingles do pessoal do balcao de informaçoes é tao ruim que parece que eles estao falando tailandes misturado com filipino, mas com sotaque mineiro.

Em terceiro que o metro de Paris é algo de surpreendente, inclusive o de Sao Paulo fica parecendo trenzinho de criança.

Quarto, os franceses correm de voce quando voce fala com eles em ingles ou espanhol.

Quinto, aqui esta fazendo calor, ou seja meu casaco de couro foi bater dentro da bolsa que ja estava pesada.Sexto, como nao podia deixar de ser me perdi tres vezes dentro do metro e tentei perguntar para mais de vinte pessoas como chegar a torre eifell e tudo que eles entendiam era Eifell e me diziam uy!; uy! Eifell, e mais nada.

Finalmente consegui chegar a Torre Eifell depois de umas 3 horas de metro e trens urbanos… algo que certamente nao deveria levar mais do que 20 minutos. Ufa….. hehehehehehhe

Que nada. Agora começa a segunda parte do martirio: na torre Eifell também nao ha onde guardar bagagem; Podem rir, podem rir gostoso, até porque a esta altura do texto, até eu estou rindo de mim mesmo enquanto escrevo.

Bem cheguei ao ultimo andar da Torre com minha bolsa, todos me olhando como se eu fosse um louco e meio que adivinhando que eu nao devia ser europeu. Inclusive encontrei uma familia de brasileiros la em cima, mas para evitar que eles ficassem constrangidos, ou para evitar que a imagem brasileira fosse manchada, preferi ficar calado e quieto.

Finalmente tive coragem de pedir para alguem tirar uma foto minha. Foi um cara de barba e terno: um paquistanes muito legal, mas que nao fala nenhuma lingua moderna, so aramaico antigo e que acho que nunca tinha visto uma camera digital antes… custou um pouco, mas atraves de sinais consegui ele perceber que o botao que ele insistia em apertar era o botao de power e nao de tirar fotos.

Depois de sair da torre Eifell tive um grande memento de tranquilidade em baixo da torre. Decidi fumar um cigarro e tomar uma Coca-Cola. Dezenas de orientais e africanos vendiam refrigerantes e agua, foi facil comprar uma coca, o dificil foi acreditar aue uma simples coca-cola em lata custa 2 euros, ou seja, algo em torno de 7 reais. Pensei aue ele estava tirando um sarro comogo, afinal mais “Turista Ho Yhe” impossivel. Nao estava brincando e esse é realmente o valor de uma coca em toda a França. Nao teve jeito, paguei e decidi nao esquentar com isso, afinal a vida é bela e Paris…. Haaaaa Paris….. é uma merda mesmo, hehehehehehehehehheehh

Continuando: o sol estava alto e era uma linda tarde de verao junto ao Sena, decidi voltar para o sub-solo, ou seja, para o metro, para ir ate a estaçao de trem para ir a Metz. Quando chego na estaçao o sol ainda brilhava no ceu, fui até um balcao de venda de bilhetes e pedi uma passagem para Metz. Fui informado de que o ultimo trem para Metz tinha saido as 20:00 e que agora somente haveria trem as 7:00 da manha seguinte. O susto foi inevitavel, pois mesmo tendo acertado meu relogio quando cheguei a Paris, eram 21:30 e o sol ainda estava brilhando!!!! Somente depois descobri que o sol se poe completamente as 22:30.

Pois é pessoal, finalmente fosses perceberam que esse nao era o meu dia de sorte. Comprei a passagem para as 7:00, afinal tinha que chegar em Metz no dia 8, como combinei com a organizaçao do evento.

Decidi ficar na estaçao de trem e esperar até a manha seguinte em um esfoço para economizar alguns euros. Tomei diversos cafes e cocas das maquinas automaticas, onde a coca sempre sai quente e o cafe sempre sai frio, mas decidi aproveitar essa merda como mais um incentivo para ficar acordado na marra.

Ja eram 1:00 da manha quando um guarda da estaçao veio falar comigo no mais claro Frances de que a estaçao estava fechando as 1:30 e que eu teria que sair. A estaçao reabriria as 5:00. Agora sim eu me senti como um desgraçado, sem familia, sem telefone, um verdadeiro lascado 🙂

Bem em frente a estaçao de trem tinha um hotel, fui ate la, afinal nao podia ficar na rua com minha bagagem, seria assaltado mais cedo ou mais tarde.

Depois de alguns gestos como se fossemos surdos mudos, o cara do hotel me fez entender que a diaria era de 110 Euros. 110 Euros !!!!!! Por 4 horas de sono? Nem a pau !!!!! preferia dormir no banco da praça. Andei por mais alguns quarteiroes e terminei encontrando um hotel que me cobrou 50 euros, achei um absurdo, mas estava cansado demais para discutir…… ou fazer mais mimicas e carregar minha super bolsa.

Subi para o meu quarto e me deitei com roupa e tudo, super cansadoe doido para tirar uma soneca. Foi entao que todos os cafes e cocas que tomei na estaçao de trem decidiram fazer efeito e como ja da para imaginar, nao deu nem para pregar um dos olhos, quem dira dormir.

As 5:30 eu ja estava de banho tomado. Desci todo animado para tomar um cafe e ir para a estaçao de trem e ir para Metz, o dia anterioir tinha sido apenas um dia mau, coincidencias malignas, a puta que os pariu, ou qualuer coisa desse tipo…. hoje era um novo dia e tudo sairia bem. Pego o elevador e desço, falo com o cara da portaria e entendo que esse hotel nao oferece cafe da manha! Hummm estava explicado porque era tao barato, afinal por 50 euros, esperar cafe da manha era demais tambem.

Sem problema, isso nao abalou meu otimismo, este seria um dia diferente!

Fui para a estaçao e adorei tomar mais um cafe gelado daquela fantastica maquina dos infernos. Sabia que a viagem para Metz durava 3 horas, logo poderia recuperar um pouco do sono perdido.Na hora certa o trem saiu e na minha cabine estava um casal de Alemaes que seguiriam viagem no mesmo trem para Strusburgo. tentei dormir, mas a simpatica senhora me fez o favor de se interesar por meu livro que estava escrito em uma lingua estranha e nao consegui me conter: depois de mais de 24 horas sem poder conversar ou entender ninguem, ate que as tres horas de viagem, conversando amenidades em ingles sofrivel, com um casal de senhores alemaes, se transformou na melhor parte de toda a viagem ate esse momento.

Cheguei a Metz e desci na estaçao certo de que haveria alguem esperando. Assim como em Paris, eu estava enganado. Ninguem estava esperando pelo grande Palestrante Brasileiro Mantenedor do Fantastico Projeto LESP!!!!!! heheheheheheheh

Mais uma ves fui ao balcao de informaçoes tentar saber como fazer para chegar no hotel no qual a organizaçao do evento deveria ter feito minha reserva.

Quando ela entendeu o que eu estava perguntando me disse com toda a segurança que nao existia nenhum hotel chamado Formula 1, pelo menos nao em Metz. Agora sim eu estava em mal lençois!!!! Consegui atravessar o atlantico e chegar a lugar nenhum! havia alguma outra cidade chamada Metz na França?, Sera que cancelaram o evento? Sera que eu ainda estou dor,indo e tudo isto é um pesadelo?

Tentei me acalmar e perguntei onde ficava a Universidade, eles deveriam saber de alguma coisa e se fosse o caso de nao saberem nada, pelo menos teriam acesso a Internet e eu conseguiria entrar em contato com alguem. Depois de mais uns 30 minutos de conversa em surdo-mudo com a moça do balcao de informaçoes e consegui um mapa da cidade, consegui identificar onde ficava a universidade e consegui saber qual era o onibus que precisava pegar.

Cheguei na universidade e a parada era bem na porta da faculdade de letras. Viva!!!!! Estou salvo!!!! Alguem ali dentro tinha que falar ingles ou espanhol ou aramaico, ou seja, alguem tinha que falar alguma coisa diferente de frances ou da ligua dos sinais!!!!

Entrei e perguntei bem devagar para a moça da secretaria do curso. Ja na cara dela quando comecei a perguntar se ele falava ingles percebi que esse também seria um dia cheio de tristes coincidencias. Ninguem sabia falar ingles nem espanhol. Menos mal que essa moça sabia falar a lingua dos sinais e consegui que ela me deixasse usar um computador com acesso a internet que estava no balcao da secretaria. Acessei a pagina do evento e me certifiquei de que ele nao havia sido cancelado e que era mesmo nessa cidade e nessa faculdade; SIM!!!!!!!!!!! Vitoria !!!!!!!!!!!! O destino que fosse a merda, eu tinha chegado!!!!!

Consegui mostrar um mapa para ela e apontar onde era o departamento de tecnologia. Ela gentilmente apontou para a direita e escreveu em um papel 200 m. E finalmente eu cheguei no UIT, ou seja, departamento de tecnologia da universidade.

Entrei e fui direto na secretaria, agora nao havia duvida todos sabiam falar ingles, ou pelo menos entender. Ninguem sabia nada, muito menos que no dia seguinte, haveria um dos maiores eventos sobre SL da Europa, com mais de 1000 inscritos.

Meu mundo caiu!!!!

Sai de dentro do predio e em um ultimo suspiro de esperaça perguntei a um grupo de estudantes se alguem falava ingles, por sorte do destino uma estudante falava mais ou menos. Consegui explicar o que estava acontecendo e ela foi comigo para falar com um dos diretores do departamento de informatica. Ela me serviu como tradutora. Esse diretor sabia sobre o evento, mas nao fazia parte de nada nele, entretanto conseguiu localizar um cara que era da organizaçao e finalmente ele viria se encontrar comigo para vermos os detalhes. So tinha um problema, essa pesssoa de contato pediu que eu esperasse apenas 5 horas, pois ele nao poderia vir antes. Eu esperei, ele chegou e eu fui para o hotel desmaiar.

Muito bem amigos, depois eu conto mais.

Abraços,

Anahuac

19/07/2004