Desfiliação da ASL

Este é um pedido público de desfiliação da ASL – Associação do Software Livre. A relação formal durou pouco mais de um ano. A associação não atua como imaginei e definitivamente, sob essa gestão, não representa as minhas convicções sobre a filosofia do Software Livre.

A direção da ASL acredita firmemente que deve representar, também, os defensores dos preceitos da OSI – Open Source Initiative. Permite, portanto, embates absurdos nas suas listas de discussão, abre margem para interpretações dúbias sobre o que defende, o que confunde mais do que esclarece.

Apenas para esclarecer:

  • Pedi apoio direto para a campanha #FLISOLsemUbuntu. Foi negado.
  • Sugeri numa das listas do FISL que não se usasse Ubuntu nas maquinas do evento e fui defenestrado;
  • Sugeri à diretoria, para que não usassem Ubuntu nas maquinas do FISL e eles insistiram em usá-lo;
  • Seus diretores e funcionários apoiam abertamente a instalação de software não livre no FLISOL;
  • O uso irrestrito das redes sociais devassas em detrimento das livres é notório;

Na visão dos diretores da ASL e do seu quadro de funcionários Open Source e Software Livre são a mesma coisa, portanto devem abrir espaço para todos os pontos de vista, chegando ao ponto de admitirem em lista que estavam em negociações com a Microsoft para patrocinar o FISL 2016.

Pode parecer incrível, mas eu nunca tinha me filiado a ASL. O fiz no FISL de 2015 acreditando estar dando um passo importante na tentativa de reverter o cenário de extinção iminente da filosofia do Software Livre, mas o que encontrei foi mais um grupo de medianos ativistas, mais interessados em preservar as aparências e a boa conivência do que defender os interesses da comunidade Software Livre.

Torço para que a ASL perceba a importância que suas atitudes terão na sobrevivência da filosofia Software Livre, mude e possa voltar a ser protagonista. Hoje é apenas um grêmio OSista.